Artigos

O CRESCIMENTO ECONÔMICO
10/01/2007


    A palavra-chave, na presente conjuntura, é, sem dúvida, CRESCIMENTO ECONÔMICO, repetida seguidas vezes pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu discurso de posse, investindo-se no segundo mandato, sob as vistas atentas da opinião pública brasileira, inconformada com os ínfimos índices alcançados ultimamente, nivelando-nos ao minúsculo Haity e nos mantendo distantes da Argentina, privilegiada com o patamar de 9% na última avaliação procedida.
    No próximo dia 22, um pacote de medidas oficiais, com tal objetivo, será tornado público, num aceno que estimulará a expansão de nossas atividades produtivas, abrindo perspectivas bem mais favoráveis para a imagem do Poder Executivo, em sua nova fase gestiva, a que chegou no embalo de 58 milhões de sufrágios, numa competição que teve como adversário o ex- presidenciável Geraldo Alckmin.
    Aliás, todos os governadores, em suas plataformas de ação, acenaram para o desenvolvimento de suas respectivas Unidades Federadas, numa integração que reflete o sentimento de identificação entre a União e os Estados, no contexto de elogiável parceria, cuja concretização tornou-se imperiosa por força da própria conjuntura que estamos vivenciando.
    CID GOMES, além do discurso formal na Assembléia Legislativa e no Palácio Iracema, deixou clara a intenção de assim posicionar a sua administração, cumprindo promessas da vitoriosa campanha que o alçou à condição de dirigente máximo do Ceará.
    A bancada federal, por sua vez, antes mesmo da investidura formal, já lhe assegurou parcelas razoáveis para empreendimentos relevantes, como o Hospital Regional do Cariri, o Canal da Integração, a Rodovia Padre Cícero, um amplo Centro de Convenções destinado a situar a nossa cidade na condição de polo de atração para grandes eventos, numa coadjuvação que deve prevalecer nos quatro anos subsequentes, tendo por base o orçamento da União.
    O policiamento, qualificado como Ronda do Quarteirão, transformou-se em algo importante para a segurança do cidadão, com dispêndio razoável, mas reconhecidamente indispensável nesta fase em que faltam garantias  aos que transitam em nossa metrópole, já palco de seqüestros e outras modalidades de violência que apavoravam a comunidade.
    Que venha o novo pacote, respaldado no firme propósito do Executivo fazê-lo cumprir sem os tradicionais contingenciamentos, que se tornaram normas usuais em todas as administrações.
Um impulso vigoroso no crescimento econômico tornou-se imperativo, inadiável mesmo, daí por que o seu anúncio é aguardado com inusitada expectativa por todos os mais variados segmentos sociais.
      

MAURO BENEVIDES
Jornalista e Deputado Federal

Mauro Benevides © 2011 Todos os direitos reservados