Discursos

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO MAURO BENEVIDES

NA SESSÃO DE 01 DE NOVEMBRO DE 2012

 

SENHOR PRESIDENTE

SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS:

 

O Ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho - um dos mais competentes auxiliares diretos da Primeira Mandatária Dilma Rousseff, empossou, ontem, o novo titular do INSS, LINDOLFO NETO DE OLIVEIRA SALES, proferindo, na ocasião, no seu estilo peculiarissimo, um discurso marcado pela autenticidade da explanação, relacionada com as atribuições de sua Pasta, uma das mais complexas do primeiro escalão governamental.

Nas palavras iniciais, o senador potiguar cobrou maior eficiência da Autarquia na acolhida ao público, enfatizando, textualmente: “Não vai ocorrer retrocesso. Não pode haver qualquer tipo de transigência em relação ao tempo médio da espera no INSS”.

Deixou patente Sua Excelência que inadmitirá a exaustiva demora na espera dos beneficiários para ser recebido em qualquer Agência do território brasileiro, fato sempre alegado pelos que demandam o Órgão, à procura de simples informações sobre procedimento de consultas médicas, de internamento ou até mesmo aposentadoria.

Discorrendo sobre os encargos do Dr. Lindolfo de Oliveira Sales: “afirmou que os mesmos são muito áspero, um abacaxizinho. Só não é maior do que o meu. Mas você não vai descascar essa abacaxi sozinho”.

Por sua vez, o recém-nomeado comprometeu-se a promover reuniões constantes com os cinco Superintendentes regionais para estabelecer diretrizes que apontem para uma maior celeridade no exame do pleito dos segurados do Instituto Nacional de Previdência Social.

É bom realçar que, diariamente, alguns milhares de interessados buscam os postos do INSS, o que, ao final do mês, aponta para um total de duzentos e cinquenta mil.

Confiamos, pois, em que, sob as vistas atentas do Senador Garibaldi Alves Filho, o atual dirigente do INSS corrigirá as distorções presentemente existentes, restaurando a confiança de todos os beneficiários numa instituição de importância vital para milhões de segurados.

Por ser nosso dever constitucional o de fiscalizar o Executivo, levaremos ao Ministro Garibaldi e ao novo Presidente as nossas inevitáveis reclamações, para que os previdenciários tenham um acolhimento sem os retardos indesculpáveis, que hão predominado tradicionalmente.  

                              MAURO BENEVIDES

                       Deputado Federal

Mauro Benevides © 2011 Todos os direitos reservados