Discursos

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO MAURO BENEVIDES

NA SESSÃO DE 24 DE JUNHO DE 2013

 

 

SENHOR PRESIDENTE

SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS:

 

Em discurso proferido na última quarta-feira, nesta tribuna, reportei-me aos acontecimentos registrados em numerosas cidades do nosso País, em inusitada mobilização popular, que chegou a alcançar Cem urbes, em algo que lembrou o movimento das Diretas Já, quando, somente em São Paulo, foram concentradas cerca de HUM MILHÃO DE PESSOAS, no Vale do Anhangabaú, com a presença, dentre outros, de Ulysses Guimarães, Franco Montoro, Tancredo Neves, José Sarney, Teotônio Vilela e tantos outros que, naquela época, clamaram pela normalização democrática e a Convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte, através da qual se alcançaria o retorno ao Estado de Direito.

Já agora, em mais de uma CENTENA DE COMUNAS registrou-se fato assemelhado, numa explosão de inconformismo pelas iniquidades registradas nos campos econômico-social, a começar pelo aumento de tarifas nos transportes urbanos, a que se acresceram outros temas de maior amplitude e significação para o povo brasileiro.

Dentre a temática presente nas passeatas e cartazes exibidos pelos manifestantes, figurava a REFORMA POLÍTICA, com alusão ao indesculpável descaso, até agora verificado, sem definir rumos conclusivos para a decisão aguardada, ansiosamente, por parte dos segmentos sociais, pressurosos por uma imediata reimplantação, na atual sistemática eleitoral, de princípios éticos inafastáveis.

Recorde-se que a Lei da Ficha Limpa eclodiu de arregimentação de grupos sociais, dando lugar a que o Parlamento, em tempo hábil, implantadas aquela salutar diretriz, aplicada corretamente pela Justiça Especializada, numa construção ao aprimoramento das instituições partidárias.

Talvez possa ser entendida como imodesta a minha revelação, mas acredito que haja sido este parlamentar – de tantos mandatos nas duas Casas – aquele que mais persistentemente haja frequentado esta tribuna e na Comissão Especial, para clamar por alterações, fundamentalmente o FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA, como forma de evitar a influência do poder econômico, descaracterizador da legitimidade da outorga de que somos mandatários.

A hora não admite mais delongas, Ouçamos a voz das ruas para esse e outros assuntos de maior importância, como a chamada PEC 37, inadmitida, consensualmente, em ostensivas mensagens de uma massa consciente de nossas indelegáveis responsabilidades.  

 

MAURO BENEVIDES

Deputado Federal

Mauro Benevides © 2011 Todos os direitos reservados