Discursos

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO MAURO BENEVIDES

NA SESSÃO DE 19 DE AGOSTO DE 2013

 

 

SENHOR PRESIDENTE

SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS:

 

Em solenidade a ser levada a efeito, amanha, a ACADEMIA CEARENSE DE LETRAS estará comemorando 119 anos de existência, já que antecedeu, em dois anos, a própria ABL, também definida como Casa de Machado de Assis, à qual pertencem vultos exponenciais da intelectualidade pátria.

O Presidente José Augusto Bezerra, que, ali, empreende gestão auspiciosa, envida esforços para que o evento assuma conotação de autêntico e indelével marco, com significação para os nossos fastos historiográficos.

Instalada no antigo PALACIO DA LUZ, a ACL alberga, em seus espaços físicos, outras instituições do gênero, cognominada, também por isso, de entidade mater, na condição de ponto de convergência dos congêneres, patroneadores de finalidades assemelhadas, de que é prova inconteste a Academia Cearense de Retórica – a única, no gênero, aliás a instalar-se em nosso País, já com três décadas de dinâmico desempenho.

Durante o magno acontecimento, será relembrado o Centenário do Nascimento de três ilustres escritores – João Clímaco Bezerra, Fran Martins e Francisco Alves de Andrade – os dois primeiros integrantes do sempre lembrado GRUPO CLÃ, amplo movimento de caráter modernista, que contou, igualmente, com vultos como Antônio Girão Barroso, Braga Montenegro, Eduardo Campos, Martins Filho e tantos outros possuidores de alentadas bibliografias, como é o caso de ARTUR EDUARDO BENEVIDES, considerado Príncipe dos Poetas cearenses, que teve como antecessores o Padre Antonio Tomás, Cruz Filho e Jader de Carvalho, todos reverenciados com personalidades desse RAMO cultural.

Pelos noventa anos, completados, no dia 25 de julho, último, Artur Eduardo Benevides receberá pessoalmente, uma PLACA COMEMORATIVA, em testemunho de aplauso por sua notável contribuição à Poesia, na qual estreou com o sempre mencionado livro NAVIO DA NOITE, ao iniciar-se a década de cinquenta, com excelente aceitação, naquela época e ainda até hoje, pelo público ledor.

Por sua vez, a Medalha Thomaz Pompeu será outorgada aos mestres Pedro Paulo Montenegro e Sânzio de Azevedo, além de mim próprio, como modesto membro que sou daquele secular Silogeu.

Ao destacar, desta tribuna, a marcante iniciativa, testemunho o meu profundo agradecimento por ver-me incluído entre os preclaros Pares que se realçam, todos eles como figuras verdadeiramente estelares, detentores de acervo bibliográfico dos mais apreciados.

MAURO BENEVIDES

Deputado Federal

Mauro Benevides © 2011 Todos os direitos reservados