Discursos

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO MAURO BENEVIDES
NA SESSÃO DE 28 DE MAIO DE 2007

 


SENHOR PRESIDENTE
SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS:

 

Várias vezes, ocupando esta mesma tribuna, defendi a superação de empecilhos, que ainda embargam a viabilização da Usina Siderúrgica, do Complexo Portuário do Pecém, no meu Estado, que passou a constituir, na presente conjuntura, a maior reivindicação para impulsionar, decisivamente, a aceleração do crescimento econômico da região nordestina.
Hoje, sinto-me no dever de externar, com redobrada preocupação, o diálogo que mantivemos, na quarta-feira passada, com o Presidente da PETROBRAS, Sérgio Gabrielli, acerca da palpitante postulação, quando expusemos o indiscrepante sentimento de perplexidade diante da indefinição perdurante, já que não se tem notícia de uma providência concreta, em condições de tornar solucionado o pleito, do qual participam, além de nossa Unidade Federada também grupos privados da Coréia e da Itália.
Interpelado por mim e, igualmente, por outros colegas de representação nesta Casa, o dirigente máximo da prestigiosa estatal apontou, ainda, uma série de embargos, cuja ultrapassagem reputou difícil, o que gerou desalento aos participantes do referido encontro, que contou com a presença, também, do coordenador ZÉZEU RIBEIRO e do vice-presidente da Câmara, deputado Inocêncio de Oliveira.
No mesmo dia, durante a posse do Ministro Napoleão Munes Maia Filho, transmiti ao Governador Cid Gomes a minha desalentada preocupação, em face do posicionamento exteriorizado por aquele executivo, de quem depende, hoje, a concretização do portentoso empreendimento.
Na sexta-feira, em Fortaleza, o nosso governante deixou patente a sua inquietação pessoal, transferida para outras autoridades, igualmente pressurosas em que a CEARÁ STEEL transforme-se, sem mais delongas, numa esplêndida realidade, contribuindo para expandir as atividades produtivas, com o conseqüente surgimento de mais de três mil empregos diretos, destinados a absorver a mão-de-obra trabalhadora no território do Polígono das Secas.
Em entrevista concedida à imprensa local, CID GOMES deixou patente a sua indignação, dispondo-se a retornar ao Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de fazer-lhe derradeira exposição, em nome dos interesses legítimos da comunidade, perante a qual o Primeiro Mandatário anunciou, em duas recentes oportunidades, o seu apoio àquela mega-idéia, já estruturada dentro de parâmetros perfeitamente exeqüíveis, mesmo com a elevação do preço do gás boliviano e outros desdobramentos decorrentes, que trouxeram complicação aos parceiros de uma empreitada societária, da qual participam grupos nacionais e estrangeiros.
As correntes de opinião, entre as quais o empresariado, representado especialmente pela Federação das Indústrias e a Câmara dos Dirigentes Lojistas, solidarizaram-se com a bancada e, por via de conclusão, com o Chefe do Executivo, numa unanimidade que oferece sustentáculo de apoio a todos nós e, de maneira particular, ao próprio dirigente do Estado, retemperado para interceder junto ao Chefe da Nação, com redobrada energia, calcada em maciço incentivo aos nossos coestaduanos.
Desta tribuna, reitero apelos anteriores ao Presidente da Petrobras no sentido de que se empenhe, com vistas a que as dificuldades remanescentes sejam equacionadas, assegurando-se ao Ceará algo que o tornará mais competitivo no contexto da siderurgia nacional, com repercussão no mercado internacional.
Os quadros políticos no Congresso, de maneira uníssona mantém-se arregimentados, dispostos a batalhar por uma obra sonhada por todos quantos se empenham no crescimento econômico e bem estar social do Nordeste e do próprio País.
 

MAURO BENEVIDES
Deputado Federal

Mauro Benevides © 2011 Todos os direitos reservados