Discursos

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO MAURO BENEVIDES
NA SESSÃO DE 29 DE MAIO DE 2007

 


SENHOR PRESIDENTE
SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS:

 

 

Pelo que se presenciou, neste plenário, à tarde de ontem, não remanescem mais dúvidas de que a Câmara deflagrou o processo de REFORMA POLÍTICA, sob a coordenação do próprio presidente ARLINDO CHINAGLIA, que demonstrou, inequivocamente, o compromisso de instaurar um rito procedimental que assegure, em espaço de tempo razoável, clara definição sobre pontos essenciais, sob pena de a opinião pública manter-se descrente quanto ao nosso salutar propósito, tantas e seguidas vezes protelado, sobre pretextos banais.
A explanação do dirigente máximo desta Casa apontou a uma decisão que não mais comporta recursos, bastando, para tanto, que as siglas que se representam, aqui, conjuguem esforços em busca de uma consensualidade, em condições de alterar a sistemática eleitoral e partidária predominante entre nós.
Como coordenador geral da matéria em nossa representação, o deputado IBSEN PINHEIRO pronunciou-se incisivamente, valendo-se de argumentação que soube expender com mestria, destacando, com firmeza e determinação, os itens referente ao financiamento público de campanha e a listas pre-ordenadas, certamente após consulta procedida junto a senadores e deputados que integram a nossa agremiação, hoje, presidida por Michel Temer.
A sociedade civil, articulada também pela deputada Luiza Erundina, expressou a sua opinião, destacando-se o ex-presidente da Ordem dos Advogados, Marcelo Lavenère, que igualmente detalhou por ângulos indispensáveis na reformulação agora em via de breve concretização.
As demais entidades, por seus delegados, louvaram o desejo de seqüenciar as discussões, até que se alcance, – se possível – uma proposição que aglutine todas as tendências, evitando controvérsias que possam ensejar discordâncias capazes de invalidar o esforço até aqui infatigavelmente despendido.
Quanto a mim, Senhor Presidente, ainda na passada quinta-feira, em todo o Grande Expediente, com a participação solidária em apartes, dos eminentes colegas Chico Lopes, José Fernando Aparecido de Oliveira, José Airton Cirilo, Pedro Fernandes, Zé Geraldo, Domingos Dutra, Eudes Xavier e Leonardo Picciani, fixei pontos essenciais, endossado pelos demais companheiros – unânimes em reconhecer que não é mais possível delongar exame da matéria de inquestionável relevância.
Aliás, fiz editar uma plaquete com outras manifestações nesta Casa, a fim de deixar clara a minha identificação com tudo quanto disser respeito à tese reformista, especialmente o projeto Ronaldo Caiado, cujo acolhimento dependerá, apenas, da maioria simples.
Ultrapassadas as naturais divergências, é possível que, em junho vindouro, venhamos a decidir a respeito, reabilitando, assim, a imagem do Congresso diante dos segmentos esclarecidos da opinião pública brasileira.
Que venha a REFORMA POLÍTICA, eliminando tudo que possa significar ilicitude, em condições de macular o veriditum das urnas.


MAURO BENEVIDES
Deputado Federal

Mauro Benevides © 2011 Todos os direitos reservados