Discursos

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO MAURO BENEVIDES
NA SESSÃO DE 04 DE ABRIL DE 2007




SENHOR PRESIDENTE
SENHORAS E SENHORES DEPUTADOS:




Na última quinta-feira, em café da manhã promovido pela Bancada do Nordeste, o novo Ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, discorreu sobre seus planos à frente da importante Pasta, mostrando identidade perfeita com os demais participantes, pressurosos em vê-lo anunciar as metas prioritárias que implementaria ao ensejo de sua gestão, secundando os titulares anteriores, Ciro Gomes e Pedro Brito, ambos com relevantes serviços prestados ao País.
Embora vinculado ao Ministério da Fazenda, o Banco do Nordeste fez presente, através de Roberto Smith, atual presidente, já que aquele estabelecimento de crédito oficial – que já dirigi em 85-86 – é responsável pela aplicação do Fundo Constitucional do Nordeste, oriundo do artigo 159 da Carta Cidadã, que guarda direta conexão com os planos do MINTER, especialmente no que tange à política de juros e à destinação de mais de seis bilhões alocados no presente exercício financeiro.
Após desempenhar sucessivos mandatos, o que lhe permitiu alicerçar larga experiência e tirocínio na vida pública, Geddel defronta-se com esse desafio, para cujo cabal cumprimento empregará ingentes esforços, direcionando-os para a redução dos gritantes desníveis regionais, que nos distanciam de outras áreas geográficas do País.
Mencione-se, por oportuno que, até a segunda quinzena deste mês, o Congresso deverá apreciar os VETOS do Presidente da República ao projeto de RECRIAÇÃO do Polígono das Secas, admitindo-se ser muito provável que alguns deles sejam rejeitados, em decorrência de hábil articulação que vem sendo levada a efeito pela bancada a que pertencemos.
Caberá, então, ao Ministro recém empossado diligenciar a reimplantação da SUDENE, dentro de nova configuração estrutural, passando a ser poderoso instrumento para a execução de políticas públicas que acelerem o crescimento e bem estar social do Nordeste.
Espera-se, por outro lado, que se restabeleça o prestígio do Conselho Administrativo da Autarquia, no âmbito do qual eram travados debates memoráveis, entre governadores, ministros, técnicos qualificados e políticos de todas as hierarquias, gerando diretrizes eficazes que passavam a ser aplicadas em proveito daquela faixa geográfica do País.
A questão da Transposição de Águas do Rio São Francisco, que envolve compromisso do Chefe da Nação, será igualmente tratado com prioridade, evitando-se que permaneça a insurgência da Bahia, Sergipe e Alagoas, ainda resistentes à concepção tradicional, que também estará direcionada para a revitalização do Velho Chico, beneficiando a várias Unidades Federadas, sem desfavor de nenhuma delas.
Espera-se, desta forma, que na administração Geddel Vieira Lima a questão venha a ser deslindada, após tantos e exaustivas discussões nesta e na outra Casa do nosso Parlamento.
Geddel demonstrou possuir engenho e arte para conduzir o problema, evitando que se agudizem as atuais divergências, capazes de superação, como pretende o próprio Primeiro Mandatário do País.
O ilustre baiano saberá situar-se diante dos confrontos ainda remanescentes, construindo alternativas que viabilizem o portentoso empreendimento.
Foi essa, sem dúvida, a impressão resultante de uma conversação de alto nível, situada em patamar que demonstra, cabalmente, a visão do novo membro do escalão governamental, situando na Capital da República.

    
MAURO BENEVIDES
Deputado Federal

Mauro Benevides © 2011 Todos os direitos reservados